quarta-feira, 16 de julho de 2014

...




Sábado 12 no S. Clube BH; Um Show para 4 maridos muito atentos que deram costas as belas esposas deles para assistir ao strip da Ví sem piscar... E aplausos no final...





quinta-feira, 10 de julho de 2014

terça-feira, 8 de julho de 2014

Mulheres do s. Clube

É claro que a brincadeira é a Ví, com a Ví. É claro que principalmente a brincadeira é a Ví com os outros, ou outras... Mas algumas mulheres, na verdade, mais o comportamento de algumas mulheres me chama muito a atenção.

Ela era morena, cabelos lisos e longos, bunda redonda. O vestido mini, tomara-que-caia. Dançava um pouco e já expunha a calcinha, sem muito essa de ficar “ajeitando” o vestido para baixo... Sabia usar bem aquela bunda redonda enquanto dançava. Dançava acompanhada do marido, atrás dela outro casal, bem jovens; Jovem de bom tipo e a namoradinha branca, magra vestida tão desinteressante que ao menos me recordo do rosto dela, abraçada ao namorado por trás era tão somente um enfeite.

Por duas vezes enquanto a morena dançava encostou aquela bunda redonda na virilha do jovem rapaz, certamente quando ele percebeu que poderia tirar algumas casquinhas daquela situação, o pau ficou duro na hora. A partir de então, tentando ser discreto e fingindo “sem querer” o jovem passava a dar rápidas encostadas naquela bunda meio exposta meio coberta pelo mini vestido verde. Mais tesão mais coragem, as rápidas encostas haviam transformado se em breves esfregadas... Até que,
bobo feito eu só, percebi que a bela morena fingia não perceber o “abuso”.

Não sei quem tinha o pau mais duro, eu que assistia e de imediato adotava aquela fantasia a qual um estranho esfregava-se na bunda de minha mulher enquanto dançava, ela fingindo não perceber apesar da dança convidativa e do volume passando pelas nádegas ou ele protagonista, aquele que realmente sentia o atrito gostoso das carnes...

A certo ponto ela decidiu fazer contato. Olhou sobre os ombros, aquele olhar e sorriso que só as mais safadas têm. Aí provocou mais, rebolou mais, esfregou-se mais, deu as mãos dele acesso muito além daquela bunda redonda, “cerejou” o bolo dele com um beijo na boca... A namoradinha do rapaz, nem sei... Ficou lá, pendurada nas costas dele tal qual uma mochila vazia...





sexta-feira, 4 de julho de 2014

Olhos Famintos.

Não precisa dançar, basta andar e a saia revela a 7\8, como feromônio, essa aparição atrai atenção de todos os homens por perto, de algumas mulheres Tb... Mas quando dança revela mais, deixa subir mais
, a metade da coxa, naquele ponto em que a bunda promete aparecer a qualquer instante, nenhum deles quer piscar, pode perder o instante especial. Ficam ao redor olhando e salivando feito feras... Afinal eles sabem que ela está disponível para ser comida...






sábado, 21 de junho de 2014

Sinais

Muitos não querem apenas exibir o corpo da mulher, querem que todos a vejam por completo, saibam como ela é, quem ela é... Sucumbindo a fantasia de que todos saibam o quão puta é sua mulher que acabam por mostrar em suas páginas o rosto da amada. Já vi muitos casais entrarem em grandes problemas por isso...
Alguns adeptos dessa fantasia, mais prudentes, não mostram o rosto, mas dão um jeito de sinalizar quem ela é. Roupas ousadas não são suficientes, é preciso um sinal inequívoco daquilo que ela é capaz, não basta exibir a beleza querem exibir a ferocidade sexual daquela mulher...

Os americanos marcaram suas putas principalmente com dois símbolos; uma estilização do “SW” (slut wife) ou uma tatoo com a “Dama de Espadas” do baralho; Acho que ambas as marcas falam por si dispensando maiores explicações...







No Brasil o símbolo mais usado é uma correntinha no tornozelo onde pendula uma pimentinha... Um quarto símbolo ainda não “oficializado”, bem especifico, pois esta relacionado com biquínis, mais propriamente com praias. É uma determinada marca de biquíni, comprado apenas em sexshop. Identificado por uma bandeirinha do Brasil, a mulher que desfila por nossas praias com esses micros biquínis não deixa dúvida de quem ela é, como é e do que é capaz...





segunda-feira, 9 de junho de 2014

Sábado.

Após quase não dar certo, na última hora a noite foi salva. Ainda na porta da On Board decepção... Nem entramos. Fomos ao Lord Pub, Rock muito pesado para nós e lugar irritantemente cheio, entramos e saímos em seguida. Quase às  duas da manhã terminamos na Freedon, que de bom só tem a seleção de músicas da Boate... Mas quem desfila com uma mulher assim jamais perde a noite... Eu Garanto...